< Primeiro visagista da Europa é de Baião
Logotipo App Look4Beauty

Look4Beauty mais rápido e fácil

Tudo na Aplicação

Primeiro visagista da Europa é de Baião

Venha conhecer a história de José Queirós, que ajudou a desmistificar alguns preconceitos associados à profissão de cabeleireiro.

Nasceu há 50 anos em Ancede, concelho de Baião, o homem que viria a tornar-se no primeiro visagista da Europa. Falamos de José Queirós, cabeleireiro há 36 anos que reside atualmente em Gondomar. O visagismo surgiu na sua vida em 2017, ano em que se formou em Visagisme Total Look pelo mestre Claude Juillard, o criador deste método, tornando-se assim cabeleiro visagista.

Mas de que se trata, afinal, o visagismo? José Queirós dá-nos a explicação:

"O visagismo é o estudo do rosto através das formas, das linhas e assimetrias da cada pessoa. Depois desse estudo/diagnóstico, crio o visual de acordo com o que a pessoa quer expressar! Numa estrutura de corte, criamos forma! Essa forma tem uma energia, só depois é que criamos o volume, cor e texturas. Esta forma é adaptada ao rosto da cada pessoa, que vai ficar em caráter ou harmonia, dependendo do que ela quer expressar."

Quando o cliente chega ao salão, José Queirós e a restante equipa analisam a sua imagem e explicam o que ela transmite. De seguida, pergunta se é essa imagem que o cliente quer, tanto a nível pessoal como profissional. "É aqui que um cabeleireiro visagista ajuda muito", explica o baionense, que faz questão de ir mais longe na arte de, através da imagem, dar à pessoa que se senta nos seus cadeirões uma renovada confiança em si mesma:

"Uma cliente com problemas de auto estima baixa, com alguma depressão, será que tem a estrutura de corte de cabelo que lhe dá energia? Ou, pelo contrário, que lhe retira energia? Esta é a parte da minha profissão que mais me realiza, conseguir pôr as pessoas de voltar a sorrir! Nos últimos anos sou muito procurado para esse desafio, tem sido maravilhoso. Adoro o que faço!"

José Queirós assume que, com o visagismo, a sua visão em relação à profissão de cabeleireiro se alterou: "deixei de ser um cabeleireiro intuitivo e passei a ser um cabeleireiro com personalização!"

Essa nova faceta profissional levou, em 2018, à abertura de uma nova barbearia: The Barber Art, cuja gestão ficou a cargo do seu filho José Pedro, detentor do título de segundo visagista da Europa. Um ano depois, José Queirós - pai - lançou a Visagisme Studio, marca mais direcionada para a personalização e através da qual dá formações de visagismo.

Atualmente, conta já com dois salões, ambos na Avenida 25 de Abril, em Gondomar. "Fizemos a fusão Teu Estilo com Visagisme Studio. É um espaço muito acolhedor, é a nossa segunda casa, o cliente entra e sente que é uma casa", exclamou satisfeito em jeito de convite.

Paixão pela profissão surgiu aos 14 anos

Em 1984, aos 14 anos, José Queirós foi viver com a mãe. "Saí da aldeia para ir viver para a cidade. Durante a semana aprendia e ao fim de semana vinha pôr em prática a minha aprendizagem em Baião", recordou, ele que optou por manter a tradição da família, ligada àquela arte profissional desde início da década 60.

Foi no salão da mãe que se iniciou na arte de ser cabeleireiro e onde viria a passar 16 anos. Nos últimos três, trabalhou também em part-time num grupo de salões franceses, onde conseguiu amealhar dinheiro para lançar o seu próprio negócio. Nascia assim, em 2000, a marca Teu Estilo, que criou de mãos dadas com a esposa Alice Pinto, esteticista e maquilhadora. "Rapidamente, implementamos muito bem o conceito: vanguardistas e muito dinâmicos com tendências atuais", contou satisfeito.

Volvidos três anos, sem mãos a medir para tantos clientes desejosos de um novo look, José e a esposa reabriram um segundo salão. Também nesse ano - 2003 - o baionense fez as primeiras apresentações em palcos portugueses e espanhóis para algumas marcas. Em 2010, eram já quatro os salões detidos pela dupla, dois deles em parceria com outras sociedades. Também nesse ano, José Queirós recebeu o convite para fazer parte de grupo de educação da L'Oréal profissional, onde permaneceu até 2016.

Recentemente, José Queirós fechou as portas dos seus salões - ainda antes do Governo ter decretado o Estado de Emergência - por ter começado a "sentir o sentido da responsabilidade de saúde pública". A reabertura vai acontecer na próxima terça-feira, dia 5 de abril, seguindo todos os trâmites legais aplicados em tempo de pandemia. O baionense reconhece que "vai ser difícil" trabalhar de máscara e viseira, mas assume estar pronto para a batalha: "depois deste tsunami, só temos, que arregaçar as mangas, como se diz em Baião, e levar o país mais uma vez para frente!"

Mundo dos cabeleireiros está ligado ao mundo gay? "É mentira!"

Embora com o passar dos anos as mentalidades terem vindo a mudar um pouco, a ideia de que um homem que desempenha a profissão de cabeleireiro é gay ainda está bem patente na sociedade. Porém, José Queirós assume que "nunca" se sentiu alvo de descriminação pela profissão que exerce e que sempre foi "muito respeitado".

Pela longa carreira que tem vindo a calcorrear no mundo da estética, o baionense mostra-se orgulhoso por sentir que, de certa forma, contribuiu em parte para a mudança dessa mentalidade na comunidade baionense (e não só), mentalidade essa que diz não passar de um "mito".

"Existia o mito que o mundo de cabeleireiros está ligado ao mundo gay. Isso é mentira porque tenho muitos colegas que têm família como eu. Tenho dois filhos e um casamento com 27 anos! Mas também tenho muitos amigos do mundo gay, onde temos uma relação de amizade e respeito!"

Comentar

;